• FpM

Índice do Dólar e Poder de Compra

Atualizado: 4 de ago.

O índice do dólar (USDX, DXY ou DX) relaciona o dólar com uma cesta de moedas fortes, de parceiros comerciais.


O índice foi lançado em 1973 pelo Federal Reserve com base em 100.000 pontos. Desde 1985 tem sido gerenciado ICE (International Exchange). A composição do índice foi alterada apenas uma vez com a criação do EURO que começou a circular em 2002:

  • Euro (EUR) : 57,6%

  • Iene (JPY) : 13,6%

  • Libra esterlina (GBD) : 11,9%

  • Dólar canadense (CAD): 9,1%

  • Coroa sueca (SEK): 4,2%

  • Franco suíço (CHF): 3,6%

Apesar do fato de haverem parceiros comerciais mais significativos, como a China, o México e a Coreia do Sul, o índice ainda mantem a Coroa Sueca e o Franco Suíço.

O valor mais alto se deu em fev/1985 com 164,7200 pontos, antes da adoção do Euro. O mais baixo foi em mar/2008 de 70.698.


Percebam pelo gráfico como era mais instável até a adoção do Euro:

índice do Dólar
Fonte: Gráfico DXY - valor de fechamento - https://br.tradingview.com/symbols/TVC-DXY/ acesso em 20/06/22

O dólar americano é a moeda mais usada em transações internacionais, daí a importância de conhecer a paridade (PPC), que é a relação do poder aquisitivo entre as moedas de diferentes países, e suas oscilações.


O índice é impactado por fatores macroeconômicos, como inflação (deflação) e crescimento (recessão) econômico. As grandes oscilações ocorreram em períodos de crise econômica.



Apesar do Brasil não fazer parte do índice, segundo pesquisa do Banco Mundial mantem a 8ª posição* em paridade de poder de compra desde 2019. Esta métrica considera

produtividade econômica e os padrões de vida entre as nações.


Uma outra forma, e bem difundida, de comparar o poder de compra entre países é o índice Big Mac. O índice foi criado pela revista Economist em 1986, usa o famoso sanduíche como referência, pesquisando o preço em 100 países, tendo como base os Estados Unidos.


Ideia muito interessante, afinal, o sanduiche é patronizado e está presente globalmente. Se o Big Mac estiver mais caro que nos EUA, se considera que a moeda está valorizada, e vice-versa.


Por este critério em 2021 apenas dois países tinham a moeda mãos valorizada, a Suíça e a Noruega. O Brasil se encontrava na 16ª colocação. Abaixo da posição do Banco Mundial.

 

Fonte da Imagem: (1) Gráfico DXY - valor de fechamento - https://br.tradingview.com/symbols/TVC-DXY/ (2) Wix

 

#Economia #Paridade #PIB #Inflação #PoderDeCompra #Dólar #FinançasInternacionais

19 visualizações

Posts recentes

Ver tudo